Monumento Revolta Ribeirão Manuel

http://patrimonium-cv.blogspot.com/

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

sábado, 30 de abril de 2011

Um urinol: que dizer sobre isto?

Foi com espanto que o Patrimonium.cv tomou conhecimento de uma aberração que se fez no centro histórico da cidade da Praia, a construção de um urinol em frente da igreja matriz e do Paços do Concelho. No  A Semana, a situação foi denunciada pelo Embaixador de Cabo Verde no Brasil; pelos vistos as reacções representam o estado de coisas que acontecem em Cabo Verde; a cegueira partidária que fere a cidadania. Revejo no espírito empreendedor da actual equipa camarária mas nada nos obriga a estar de acordo com os processos de execução da obra, por si polémica, e um atentado ao centro histórico da cidade, e  ao  conjunto arquitectónico que envolve os dois centros de poder: A igreja católica e o Paços de Concelho. Sem falar do Palácio da justiça e o envolvente.
Ki-zerbo antes de falecer disse uma frase simples, rica de significado: “o desenvolvimento não é uma corrida olímpica.” Alguma vez, alguém parou para ver, ouvir, sentir o pulsar das caravanas do tempo, dos blues dos presentes-ausentes que alguma vez deram o sangue e o suor à esta cidade? Sem falar do valor arquitectónico e o valor da memória que a cidade no seu conjunto suporta…
Convido a todos para verem, sentirem, motivações d’alma que o valor da memória e da  história contesta:  


Um contributo para a inventariação do património cultural

O Patrimonium.cv recebeu um valioso contributo do Sr. Joaquim Cabral, na senda da sua pesquisa etnográfica de cidadania, sobre o património cultural da ilha de São Nicolau. Trata-se de um contributo, que não deixa de ser interessante, para um trabalho aturado sobre o património de Cabo Verde. Para além de trabalhos, que nós todos conhecemos, do professor Lopes Filho, urge conhecer outras práticas culturais que estão enterradas no charco da vida. A solução é irmos à pesca, munidos de instrumentos, e com o envolvimento da comunidade. Sem muito barulho e propaganda, o trabalho deve ser feito de forma competente.  
O mundo está em constante processo de mudanças de modelos produtivos, diga-se paradigma. Agora o que conta são os processos criativos. A criatividade como criador de riqueza. Reinventam-se tradições, os lugares históricos são alvos de apropriações turísticas e pedagógicas, pulsam manifestos de identidade e de identificação nas várias comunidades imaginadas. Nunca estaremos sós.
A indústria cultural já entra no nosso vocabulário. De experiências transnacionais encontramos muitos exemplos bem-sucedidos; bons exemplos mediatizados com Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) com a tradição. Fazem parte de catálogos de novas práticas: feiras gastronómicas, celebração do passado com a História Viva, reconstruções de alguns processos históricos, etc. E, agora: como capitalizar essas práticas se em Cabo Verde não foram feitas trabalhos de casa, como a identificação e a inventariação? Como diversificar os produtos provenientes dessas práticas inventariadas? Como fazê-las, com que recursos?
Cabe ao governo criar condições; fazer o trabalho de casa. Criar programas de longo prazo. Exigir dos seus colaboradores (Ministério da Cultura e outros) a elaboração de planos de actividades anuais, digo mesmo plurianuais, com os objectivos, metas e estratégias… Sem esquecer que o governo é um sistema composto por vários ministérios que precisam ser sistematizadas, agarradas como elementos de um mesmo corpo. Nada de conflitos sectoriais porque tem trazido atrasos e desperdícios de recursos. O tempo não é para brincadeira e os recursos não abundam.   
---//---
INVENTÁRIO DO PATRIMÓNIO CULTURAL
Joaquim Cabral

ocasião própria para tudo debaixo do céu: Eclesiastes 3:1-8
… Tempo de nascer e tempo de morrer, de plantar e de arrancar o que se plantou, de ferir e de curar, de derrubar e de edificar…
Com base nesse pressuposto, se calhar eu nem tivesse razão para me preocupar com este assunto. Afinal há um tempo próprio, até para se fazer até o inventário do património cultural.
Não sendo teólogo, assiste-me alguma complacência, relativamente à compreensão que tenho de determinadas disposições bíblicas. Não entendi bem, aquilo que vem fixado em Eclesiastes, ou seja, que devemo-nos sentar, estender as pernas e passivamente esperar pela chegada dos tempos. Julgo que, para determinados fenómenos (nascer, morrer,…) nada mais há a fazer que sentar e esperar. Para outros, não acho correcto. Há que os fazer acontecer.
Logo, não estou de acordo nem me sinto obrigado a aguardar passivamente à chegada do tempo de se fazer o inventário do património. E, porque, há tempo de estar calado e tempo de papiar… tal como estatuído no mesmo princípio, decidi papiar, e meus bons amigos Caló, Martinho, Adelaide e C.ia, não levarão a mal, sabem que meu desabafo não contém maldade, que, passou a ser esmiuçado em tudo que se diga nesta terra.
E o que vou dizer é o seguinte: Temo que muita coisa se terá perdido quando o inventário do património acontecer.
As Nações Unidas em 1972, e o Governo de Cabo Verde através da lei 102/III/1990, deram conta dessa necessidade, e tomaram medidas, tendentes à inventariação e preservação do património.
O que se fez de então a esta parte?
Há uns anos, iniciei como pude, por cá na minha terra Saninklau, à minha maneira, se calhar sem os rigores que se exige, o meu inventário. Já agora não só o material, mas sobretudo o imaterial, que mais rapidamente desaparece com as “partidas” mais que eminentes das muitas “bibliotecas” armazenadas nas mentes de nossos anciãos.
Qual “caçador de heranças”, - não escondo-o, apropriei como pude, de muito desses “arquivos” vivos. E porque não sou egoísta, expus o que coube dessa herança, no “Sodade de Nhâ Terra Saninklau”. O resto guardado, não a sete, mas a 14, quem sabe, 21 chaves.
Não se zanguem se pedir agilidade. Tornei-me assim nos últimos tempos, quando em causa está a preservação do património. E não me perguntem porquê, pois nem eu sei explicar. Deduzo que decorre da importância que descobri, que se dá noutras paragens. A fundação Mário Soares (Deportados da Revolta do Estado Novo). Uma Câmara Municipal de Portugal que editou meu livrinho (Sodade de Nhâ Terra Saninklau), a Rádio Antena Livre (Vale do Tejo), a Rádio Vaticana (Onde fui entrevistado em 2007), Uma universidade Americana (Pesca da Baleia), são algumas entidades que nos têm batido à porta, a propósito dessas pseudo-investigações culturais. Até a Secretaria Regional de Educação e Cultura da Madeira, através do Centro de Estudos de História do Atlântico pediu a minha anuência para incluir meu nome na lista dos investigadores … “Estamos preparando uma lista de investigadores insulares ou que trabalham sobre esta temática. Caso esteja interessado em que o seu nome figura agradecemos que nos envie as seguintes informações:
1. Nome completo; 2. Instituição;  3. Ilha; 4. url da página para podermos fazer o link. Todas as informações ficarão disponíveis em: http://www.madeira-du.pt
E não é que eu, atrevidamente, estou a considerar a possibilidade de aceitar?
Bem, dizia: Aprendi a admirar e valorizar aspectos históricos da nossa cultura, e decidi que não ia ficar pelos triviais, que constam em qualquer manual; A arquitectura atraiu meu interesse. Hão de perguntar, mas porquê arquitectura? É muito simples; Consequência do relacionamento com Djosa ou Zé de senhor Norberto, esse Patchê despretensioso, que mesmo por isso, não se dá nas vistas, com quem partilhei habitação no Brasil. Os catedráticos da Universidade Federal da Paraíba onde ele pós-graduou-se, que estiveram à sua procura quando, por amor à terra decidiu vir morar em Cabo Verde, falaram-me da elevada intelectualidade das qualidades e do arrojado projecto de pesquisa que ele desenvolvia. Mas foi sobretudo em decorrência a partilha de pontos de vista que despertaram ao menos a minha sensibilidade, e hoje, gabo-me de conhecer e poder diferenciar o verdadeiro significado de “arquitectura”, discernir entre a boa e a má, seu valor histórico-cultural e até simbólico.
Disso, decorre a dor que me vai na alma por ver”Lombinho”, em estado de derrocada eminente a que chegou. Não é por ter lá morado alguns meses, não é por ter sido residência de minha madrinha (Ricardina Barros). É pelo seu valor arquitectónico, história que encerra, pelo simbolismo associado aos tempos áureos de minha terra Saninklau.  


 fonte: artigo gentilmente cedido pelo Joaquim Cabral 

sexta-feira, 29 de abril de 2011

O pilão já se ouve em São Filipe

O foguete deu o aviso e o pilão já bate em São Filipe. O ritual é público e constitui um verdadeiro espectáculo feito de cânticos, dança e rituais ancestrais. O pilão que iniciou na última quarta-feira e termina, 29.


À volta de um pilão, onde estão três mulheres a pilar o milho num ritmo cadenciado, postam-se vários outros intervenientes que compõem o corpo de uma verdadeira orquestra de percussão.
Mas a festa da bandeira já vai rija desde esta quarta-feira, 27, com pilão seguido de noite dançante na Casa Cinema. Para esta quinta-feira, 28, há um encontro de emigrantes com o BCA, seguido de almoço. No período da tarde volta o pilão que dá lugar a uma noite cultural na Casa das Bandeiras.
Para o dia 29 está previsto o lançamento do livro “A seca e os outros inimigos de Cabo Verde”, da autoria de Adriano Pires. Mais pilão para preparar o milho coxido que vai estar no tradicional almoço “Xeren ku bode”.
O ponto alto da festa acontece no dia 30, com a matança de animais logo ao amanhecer e fogos de artífício à meia noite para anunciar o grande dia. Dia da bandeira de Nhô S.Filipe tem almoço tradicional na Casa das Bandeiras, o almoço dos Cavaleiros.
Juntam-se à festa outras inovações que, de ano para ano, atraem a atenção de centenas de emigrantes, muitos turistas e cabo-verdianos de todos os cantos do país e da diáspora, fazendo da bela, limpa e ’sui generis’ cidade de São Filipe, um dos maiores palcos de animação cultural e desportiva do país.

http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article63622&ak=1

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Serigrafia de Mao por Andy Warhol vendida por 938,5 mil


A serigrafia «Mao» (1972) de Andy Warhol, um dos mais importantes símbolos americanos da arte pop, foi vendida em Nova Iorque por 938,5 mil dólares num evento organizado pela casa de leilões Phillips de Pury & Company. Warhol (1928-1987) inspirou-se no líder comunista chinês Mao Tsé-tung para fazer esta obra composta por dez imagens, que estava cotada entre 600 mil e 800 mil dólares. O próprio artista chegou a comprá-la nos anos 70 e desde então pertenceu à sua colecção privada por quatro décadas.
fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24952&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Dois chifres roubados do Museu da Ciência

Dois chifres de rinoceronte, do século XVIII, foram terça-feira furtados do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, presumivelmente destinados ao mercado negro asiático, revelou à agência fonte da instituição.
João Gabriel Silva, Reitor da universidade, adiantou que os assaltantes, durante a tarde, arrombaram uma porta para se apropriarem das duas peças, que se encontravam num setor só acessível ao público através de visitas programadas, e guiadas. Paulo Gama Mota, diretor do museu, explicou que o maior dos chifres tem 75 centímetros de comprimento e pesaria entre quatro a cinco quilos.
(…)
Fonte: Destak
fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24965&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Maior fotografia de Lisboa disponível online

Está disponível online a maior fotografia da cidade de Lisboa. Tirada do miradouro de São Pedro de Alcântara, permite ver em grande detalhe marcos da cidade como o Castelo de São Jorge, a Sé de Lisboa, e a Igreja da Graça. Com quase 3 Gigabytes de tamanho, a imagem foi conseguida através da colagem de mais de 100 fotografias tiradas com equipamento especializado.
A fotografia foi desenvolvida pela Digisfera, uma start-up inovadora na área da fotografia. A empresa conta já com projectos em desenvolvimento para o Instituto Superior Técnico, a Quinta da Regaleira e a Câmara Municipal de Oeiras .

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24980&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Encontrado mausoléu do século II d.C. em Itália

A polícia italiana encontrou um mausoléu romano, com cerca de dois mil anos, debaixo de 58 toneladas de lixo de um aterro ilegal em Pozzuoli, uma cidade pequena na região de Nápoles. Segundo as autoridades italianas, o mausoléu de 15 metros quadrados com arcos e voltas bem definidos e decorado com estuques e rastos de cor nas paredes, é um monumento funerário da época romana, construído no século II d.C.
A zona onde o monumento foi encontrado é uma área descampada, onde é proibido construir devido à história daquela rua. Na época romana, a Via Domiziana passava por ali e era o caminho para Roma.
A descoberta só agora se deu porque as autoridades foram ao local para uma rusga, depois de denúncias relacionadas com o aterro. Ao vasculhar o aterro e o lixo com máquinas, as autoridades acabaram por descobrir a entrada para o monumento.
De acordo com o comandante, o monumento foi propositadamente escondido. “Foi claro de imediato que por ali tinham passado ‘tombaroli’ [ladrões de antiguidades] ”, disse Michele Ciarla, explicando que “muitas estátuas de estuco tinham sido removidas”.
O proprietário do terreno, que está agora a ser investigado, é acusado de violar o meio ambiente e de violar as leis de conservação arqueológica.
Fonte: Público, 20/04/2011

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=25008&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

terça-feira, 26 de abril de 2011

Tahiti Center embargada por doze meses para estudo de impacto histórico da zona


A decisão foi congratulada pelas associações, Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, dos Combatentes da Liberdade da Pátria, da Defesa de Memória e a Fundação Amílcar Cabral, além de outros representantes da sociedade. 

A construção do projeto Tahiti Center foi embargada para os próximos 12 meses, conforme um despacho governamental emitido dia 15 deste mês. O objetivo da medida é abrir um estudo sobre a zona para sua classificação ou não como Património Histórico.
A decisão foi congratulada pelas associações, Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, dos Combatentes da Liberdade da Pátria, da Defesa de Memória e a Fundação Amílcar Cabral, além de outros representantes da sociedade.
Em outubro de 2009, as organizações acima citadas entregaram à Assembleia Nacional uma petição com mais de seiscentas assinaturas, que visava a preservação do Parque Verde Natural do Taiti, alegando razões históricas, ambientais e urbanísticas.
De acordo com o presidente da Associação Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, Pedro Martins, o parecer do Executivo foi favorável e daí a decisão de se congratular pelo ganho que o ato representa no processo de preservação do sítio.
Segundo Martins, pelo papel importante que a zona do Tahiti tem na história do País, é de extrema importância preserva-la.
E nada melhor que construir um parque verde no coração da cidade para proporcionar mais qualidade de vida aos praienses e quiçá uma futura área de atração turística.
Por ora, a preocupação das referidas Associações e da sociedade civil é o posicionamento da Câmara Municipal da Praia que é a responsável pelo terreno.
Conforme o arquitecto Cipriano Fernandes – um dos representantes da sociedade civil a câmara diz-se a favor do Parque Verde Natural, mas até então não formalizou nada neste sentido.

fonte:  REDAÇÃO, com RCV (Gilvanete Chantre)
 
http://www.rtc.cv/index.php?paginas=21&id_cod=2489

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Tarrafal - Memórias do Campo da Morte Lenta


Diana Andringa, 2010
Com: Edmundo Pedro, Eulalia Fernandes de Andrade, Joaquim Lopes, Morgan Rusler
Produção: Diana Andringa
vai passar na RTP1, dia 27, às 23h

Filmado durante o Simpósio Internacional sobre o Campo de Concentração do Tarrafal, que reuniu na Ilha de Santiago, Cabo Verde, muitos dos que por ali passaram – antifascistas portugueses (1936-1954) e nacionalistas de Angola, Guiné-Bissau e Cabo Verde (1962- 1974) – o documentário recolhe as memórias do português Edmundo Pedro, um dos dois únicos sobreviventes do primeiro período do campo, e de angolanos, guineenses e cabo-verdianos que ali foram encarcerados na sequência do desencadear da luta de libertação nas colónias. Os relatos, na primeira pessoa, revelam-nos a extrema dureza desse “campo da morte lenta”, criado à imagem dos campos de concentração nazis, mas também o modo como os prisioneiros conseguiram organizar-se para resistir e para, apoiados apenas na força dos seus ideais, ali reinventar a vida, até à Libertação.

fonte: http://www.buala.org/pt/da-fala/tarrafal-memorias-do-campo-da-morte-lenta?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

Homenagem: PAULO REIS, "carpe diem"


O Curador e Crítico de Artes Visuais Paulo Reis residente em Portugal faleceu hoje às 18:30h no Hospital Egas Moniz. Com uma formação em Comunicação Social e História de Arte era professor de teorias de arte e de estética em várias universidades. Nos últimos anos tinha uma actividade intensa de curadoria internacional tendo sido responsável por muitas exposições em diversos países da Europa e América Latina.
Paulo Reis veio a Portugal pela primeira vez em 1998 para participar num Colóquio sobre as Artes na América do Sul. Em 2000 foi curador com Ruth Rosengarten da Exposição “UM OCEANO INTEIRO PARA NADAR” de artistas portugueses e brasileiros realizada na Culturgest. Foi uma exposição histórica pelo ineditismo e pelo impacto que teve a partir de então nas relações culturais e artísticas entre o Brasil e Portugal.
Paulo Reis tornou-se a partir de então um verdadeiro “embaixador cultural” entre os artistas e os curadores destes dois países e a sua afeição por Portugal levou-o a passar longas temporadas neste país, a que se seguiu, a partir de 2005, passar a residir em Lisboa.
Foi o criador do CARPE DIEM - Arte e Pesquisa, instituição vocacionada para a produção e realização de exposições e fórum artístico internacional, instalado no Palácio do Marquês de Pombal na Rua do Século, na capital lisboeta. Foi co-fundador e co-director da revista Dardo, juntamente com David Barro, promovendo uma série de iniciativas relacionadas com a triangulação Brasil-Portugal-Espanha.
Era uma pessoa de uma invulgar generosidade e de uma atenção e cuidado particular para com artistas de cujas causas era um militante inconformado.

ANTÓNIO PINTO RIBEIRO, proximo futuro

fonte: http://www.buala.org/pt/da-fala/paulo-reis-carpe-diem?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Tarrafal e Cidade Velha comemoraram 18 de Abril

No dia 18 de Abril, em comemoração do dia Internacional dos Monumentos e Sítios, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago realizou uma conferência sobre o batuco enquanto património imaterial.

A conferência esteve sob a animação de Gláucia Nogueira, que abordou o batuque nas suas mais diversas vertentes e seus ritmos, a saída do batuco do terreiro para o palco e a importância que a "geração Pantera" tem na nova forma de abordagem do batuque, nomeadamente Mayra Andrade, Princesito, Txeca.

O programa de actividades proporcionou ainda uma intensa troca de experiencias entre os grupos de batuco da Cidade Velha e o grupo de Tarrafal, Figueira Muita.

No período da tarde, os grupos de batuque fizeram uma actuação para o público presente, que contou com a participação especial de Gil Moreira que abrilhantou o evento com as melodias da sua cimboa.

Depois da actuação dos grupos, o vereador da cultura da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago felicitou a presença dos convidados e a Câmara Municipal do Tarrafal pela comparência. O objectivo do evento foi mostrar a importância da aposta na preservação do património imaterial e material no Tarrafal.

É de realçar que o dia dos Monumentos e Sítios foi criado precisamente a 18 de Abril de 1982 pelo ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) e aprovado pela UNESCO. O objectivo é dar visibilidade aos monumentos e sítios (arqueológicos, bairros históricos, etc.). ICOMOS é uma organização não-governamental internacional de profissionais que se dedicam à conservação dos monumentos históricos.

fonte: http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/detail/id/24327

Festival Internacional de Museus 2011

Inter Museum 2011
Exhibition “Museum technologies and equipment “Technomuseum”*
Motto *“The area of culture – is the area of confidence” | 1- 8 Junho 2011
Local:  Central House of Artists, Crymskiy val, 10, Moscow, Russia.
Festival structure:
Ø     Main Festival exposition
Ø     Business program
Ø     International multimedia presentation of actual museum projects
“Window to the world”
Ø     Exhibition “Museum technologies and equipment “Technomuseum”
Ø     Interactive theater and museum programs.
Para mais informações:^
http://home.ease.lsoft.com/scripts/wa.exe?A2=ind1104&L=ICOM-L&F=&S=&P=1863

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24891&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Itália anuncia projecto de restauro para Pompeia

Na sua primeira visita oficial a Pompeia, Giancarlo Galan, ministro da Cultura italiana, anunciou um grande plano de restauro para a cidade soterrada pelo vulcão Vesúvio em 79 d.C.
O objectivo é não só recuperar aquela que é a maior cidade da época romana como atrair mais visitantes. “Por ano são cerca de dois milhões de pessoas que passam por Pompeia mas podem vir a ser 8 milhões, só temos que investir na cidade e torná-la mais atractiva”, disse Galan.
Localizada perto de Nápoles, no sul da Itália, Pompeia é a maior e mais bem preservada antiga cidade romana. Foi classificada em 1997 como Património Mundial da Unesco.
Fonte: Público, 13/04/2011

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24818&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Selecção de artistas para exposição colectiva


A Galeria 3+1 ARTE CONTEMPORÂNEA lança o desafio a artistas emergentes nacionais e internacionais não representados em galerias portuguesas a apresentarem os seus portfolios a fim de serem seleccionados para uma exposição colectiva a acontecer no espaço da galeria no Verão de 2011.
Data final de entrega de candidaturas: 9 de Maio
Esta informação, assim como imagens da edição anterior, disponível em www.3m1arte.com.

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24826&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

terça-feira, 19 de abril de 2011

Músicos cabo-verdianos na rota dos festivais europeus

O Trio Ex-Pavi, o reggae do Afrika Domu Dub Squad e o jovem compositor Alberto Koenig foram os vencedores do concurso Cabo Verde Vis a Vis. Na sequência, os artistas escolhidos irão assinar um acordo que os levará aos festivais europeus África Vive, WOMAD, Sevilha Territórios e NUMES, todos dentro do círculo musical do velho continente. 

Os produtores espanhóis responsáveis pelo fomento do concurso Vis a Vis deixaram explícito o “altíssimo nível” da competição verificada em Cabo Verde, a nível de todas as 15 bandas convidadas a participar nas noites de 7, 8 e 9 de Abril.
 A contundente crítica social do trio Ex-Pavi, o reggae ritmado do grupo Afrika Domu Dub Squad e a mistura de pop, jazz e soul de Koenig mostraram aos produtores espanhóis presentes uma nova faceta da nova geração cabo-verdiana. Lançando mão de uma rica mestiçagem cultural, os vencedores do Vis a Vis reafirmaram a capacidade crioula em adequar sonoridades estrangeiras às peculiaridades genuinamente locais. 
Nesse sentido, o Director-Geral da Casa África – Ricardo Martinez – enfatiza a importância de iniciativas como essa. Para ele, o fomento da indústria cultural cabo-verdiana e o contacto mais estreito entre os músicos das ilhas e produtores espanhóis pode transformar-se num valioso intercâmbio. Como se sabe, o evento não se limitou aos concertos, estendendo-se também a contactos directos entre os artistas locais e produtores culturais espanhóis.


Museu português coloca anúncio no jornal

Quando, no final do ano passado, o Museu Berardo anunciou a programação para 2011 não escondeu as suas ambições: a 24 de Outubro inaugura-se aquela que quer ser “a mais ampla e significativa exposição” dedicada à obra de Nikias Skapinakis, artista de ascendência grega nascido em Lisboa, em 1931. Mas reunir a obra deste artista não tem sido tarefa fácil e, na última semana, o museu colocou na imprensa um anúncio procurando 19 quadros cujo paradeiro é desconhecido.
Fonte: DN, 17/04/2011

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24758&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Turismo: Alentejo considera “urgente” alteração da gestão do património cultural

O presidente da Entidade Regional Turismo do Alentejo considera “urgente” a alteração do modelo de gestão do património cultural na região, sugerindo, entre outras medidas, que a gestão seja entregue a agentes e estruturas privadas.
(…)
Esta é uma das conclusões que o presidente da Turismo do Alentejo retirou do Congresso Internacional “Alentejo: Património do Tempo”, que decorreu este fim-de-semana em Portalegre. Para desenvolver uma acção “concertada” em redor do património cultural, a Turismo do Alentejo quer reunir os agentes que detenham património, entre os quais as autarquias, Estado, dioceses, paróquias, entre outros, no sentido de criar uma “estrutura” onde sejam discutidos os aspectos da fruição do património.
“Tem que haver abertura para que a gestão do património possa ser entregue a privados” defendeu.
Ceia da Silva deu como exemplo “significativo” e “positivo” o trabalho desenvolvido pelas Pousadas de Portugal há várias décadas, na recuperação de um vasto conjunto de imóveis, defendendo ainda que a entrega desse património a privados poderá ser a “forma de ocupação” de muitos jovens.
Fonte: Rádio Diana

Fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24768&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Exposição "Fronteiras"


A exposição “Fronteiras”, com 160 imagens e 16 vídeos, vai mostrar a partir de 13 de maio, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, a qualidade e vitalidade da criação africana e afro-americana contemporânea na área da fotografia.
Inserida no programa Próximo Futuro/Next Future, a mostra ficará patente até 28 de agosto, e inclui ainda conferências no mesmo dia, com alguns dos mais importantes intelectuais africanos, indicou à agência Lusa o programador António Pinto Ribeiro.
A exposição vem do Mali, onde foi apresentada em dezembro de 2009, no âmbito da 9.ª Bienal de Fotografia de Bamako, capital daquele país africano.
“É uma bienal muito falada nos circuitos artísticos devido à qualidade e diversidade dos trabalhos apresentados”, comentou o consultor da Gulbenkian.
António Pinto Ribeiro esteve no Mali na altura da bienal e ficou “impressionado com a qualidade técnica de muitos fotógrafos - o que vai contra muitos dos clichés que hoje as pessoas têm da fotografia africana - com o maior uso da cor, e a forma como o tema foi tratado” pelos 62 fotógrafos que participaram.
Na altura ficou entusiasmado com a possibilidade de trazer a mostra a Lisboa no âmbito do programa Próximo Futuro, cujo objetivo principal é “dar a conhecer o que existe de mais cosmopolita e contemporâneo em África e na América Latina”.
O tema “Fronteiras” foi tratado de forma “muito diversa e inesperada” e é revelado através da interpretação de cada fotógrafo, não se circunscrevendo à geografia, mas alargando-se às questões da imigração, do apartheid ou das questões de género (os papéis do feminino e do masculino na sociedade).
Na exposição será possível ver muitas fotografias documentais, mas também algumas encenadas, retratos, revelando as diversas opções dos criadores, onde se encontram nomes como Mohamed Bourouissa, Seydou Camara, Faten Gades, François-Xavier Gbré, Yo-Yo Gonthier, Armel Louzala e Anthony Kaminju Kimani.
Outro aspeto que Pinto Ribeiro notou foi o elevado número de mulheres que está a dedicar-se à fotografia, um fenómeno novo na atualidade, em África.
Entre elas contam-se Myriam Abdelaziz, Lilia Benzid e Jodi Bieber, de origem sul-africana, mas a residir em Moçambique, que apresenta um vídeo sobre as devastadoras inundações no país.
Além da exposição, estão previstas conferências no dia 13 de maio com a presença Patrick Chabal, professor de Estudos Africanos no King’s College de Londres, Breyten Breytenbach, escritor e ativista sul-africano, Yudhishthir Raj Isar, conselheiro cultural independente e professor de Estudos em Políticas Culturais na Universidade Americana de Paris, e Kole Omotoso, autor de romances históricos, crítico e professor de drama na Universidade Stellenbosch, na África do Sul.

Fonte: http://www.buala.org/pt/da-fala/exposicao-fronteiras?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

segunda-feira, 18 de abril de 2011

VI ENCONTRO DE MUSEUS DE PAÍSES E COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA

Tendo como principais objectivos incentivar e aprofundar a troca de experiências e o estabelecimento regular de parcerias entre profissionais e museus em países e comunidades de língua portuguesa e potenciar a sua afirmação no seio do ICOM, terá lugar a 26 e 27 de Setembro de 2011, em Lisboa, no Museu do Oriente, o VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa, organizado pela Comissão Nacional Portuguesa do ICOM (ICOM-PT), em parceria com a Fundação Oriente, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA).
Para a realização deste Encontro, o ICOM-PT conta com o apoio da Comissão Nacional Brasileira do ICOM (ICOM-Brasil), com a qual expressou, em Novembro de 2010, na 22ª Conferência Internacional do ICOM em Xangai, um apelo conjunto à participação de profissionais dos diversos países e comunidades associadas à lusofonia, através de representantes que venham a assegurar o desenvolvimento ou a constituição de comités nacionais e de outros meios de partilha de informação e de cooperação no âmbito cultural, patrimonial e museológico, nomeadamente em Angola, no Brasil, em Cabo Verde, na Guiné-Bissau, em Moçambique, em Portugal, em São Tomé e Príncipe e em Timor-Leste. Assim, no âmbito deste encontro terá ainda lugar a I Reunião das Comissões Nacionais da CPLP.
Apresentando uma versão preliminar do Programa do Encontro, apelamos aos membros do ICOM-PT para que acompanhem a informação que irá sendo disponibilizada no nosso website sobre esta importante iniciativa e também para que colaborem na sua divulgação junto de outros profissionais e potenciais interessados nos objectivos deste projecto.

Consulte o Programa

Fonte:  http://www.buala.org/pt/da-fala/vi-encontro-de-museus-de-paises-e-comunidades-de-lingua-portuguesa?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

Na Casa do Senador Vera-Cruz, exposição “Arte da Tapeçaria” - MINDELO


Uma mostra que traça a história desta arte em Cabo Verde (da época colonial à sua revitalização na actualidade) e tira do baú o acervo do antigo Centro Nacional de Artesanato – peças criadas por Manuel Figueira, Luísa Figueira e Bela Duarte.
Dê um salto até à Casa Cultural plantada no coração do Mindelo e veja que Cabo Verde, melhor, S. Vicente, pode ter artesanato de qualidade.
A exposição está patente ao público até 30 de Abril, inclusive aos sábados (das 10 às 12h00) e domingos (17 às 20h00). 

fonte: http://www.buala.org/pt/da-fala/na-casa-do-senador-vera-cruz-exposicao-arte-da-tapecaria-mindelo?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

CABO VERDE quer candidatar Tarrafal a património da humanidade


O primeiro-ministro de Cabo Verde disse hoje, em Lisboa, que conta com o apoio de Portugal e de outros países lusófonos para elevar o antigo campo de concentração do Tarrafal a património mundial da humanidade.
“Queremos contar com o contributo de Portugal, de todas as ex-colónias africanas [lusófonas] e do Brasil para podermos transformar este património de Cabo Verde, da Lusofonia, em património da humanidade. Nada melhor do que os próprios protagonistas do 25 de Abril poderem contribuir desta forma para a vivificação do espírito de abril”, afirmou José Maria Neves.
arrafal, arquivo BUALA
O primeiro-ministro cabo-verdiano falava aos jornalistas à margem de uma palestra que proferiu na Associação 25 de Abril, em Lisboa, subordinada ao tema “A revolução de Abril e o seu impacto no Processo Histórico de Cabo Verde”.
José Maria Neves aproveitou a ocasião para falar do objetivo de Cabo Verde de candidatar o ex-campo de concentração do Tarrafal, situado no norte da ilha de Santiago, a património mundial da humanidade.
“A preservação do Tarrafal, que é um espaço de dominação, é também um hino à liberdade. Para mantermos firme o espírito de abril é fundamental que o Tarrafal seja património da humanidade”, explicou.
O Tarrafal, também conhecido por “campo da morte lenta”, foi formalmente instituído pelo regime da ditadura portuguesa, a 23 de abril de 1936, sob a designação de colónia penal de Cabo Verde.
Este campo recebeu, numa primeira fase, até 1954, arbitrariamente e sem qualquer direito de defesa, 340 presos políticos que lutavam contra o Estado Novo.
O antigo campo de concentração foi definitivamente encerrado a 01 de Maio de 1974.

fonte: fonte: http://bl153w.blu153.mail.live.com/default.aspx?wa=wsignin1.0

sábado, 16 de abril de 2011

2011 Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde

 
A V!VA Imagens apresenta a 2ª Edição do Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde que terá lugar na Ilha do Sal no período de 13 a 16 de Outubro. Estão já abertas inscrições grátis, devendo os filmes ser apresentados pelo correio mediante o preenchimento do formulário online. O data limite para as inscrições é segunda-feira, 15 de Agosto.
Para 2011, a CVIFF anuncia a Estréia Mundial e em Cabo Verde, do filme “Atlantic Portals”, da autoria da cineasta Caboverdiana-Americana Claire Andrade-Watkins, o segundo da trilogia de documentários sobre a comunidade cabo-verdiana e a sua fama universal como povo emigrante e guiado pela esperança. Actualmente em pós-produção, “Atlantic Portals” é a continuação ansiosamente esperada do documentário “Some Kind of Funny Porto Rican?”, uma história caboverdiano-americana sobre gerações de imigrantes das Ilhas de Cabo Verde na localidade de Fox Point, Rhode Island, EUA. Dê o seu contributo para a Estréia Mundial e em Cabo Verde do filme “Atlantic Portals” com uma simples visita à página a seguir indicada. Pressione a palavra “like” no canto superior esquerdo. Serão bem-vindas quaisquer doações
O programa para o Festival de 2011 visa congregar a Arte, o Cinema e a Indústria Cinematográfica e promete criatividade e entretenimento através da exibição dos filmes inscritos, de filmes especiais, workshops subordinados à arte do cinema, actividades culturais, comédia, teatro improvisado e outras iniciativas mais. A entrada é gratuita para todas as exibições de filmes,workshops e actividades culturais.
http://www.buala.org/pt/da-fala/2011-festival-internacional-de-cinema-de-cabo-verde?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Cidade Velha assinala o Dia Mundial do Património e dos Sítios Históricos

O Dia Mundial do Património e dos Sítios Históricos comemora-se na segunda-feira, 18, e a Cidade Velha assinala a efeméride com palestras e visitas guiadas.

Amanhã, 16, o IIPC organiza, a partir das 9 horas, uma visita guiada aos monumentos históricos da Cidade Velha, para os estudantes da cidade. Trata-se de uma forma de sensibilizá-los para a importância do Património Cultural e Natural da Cidade Velha. A nota de imprensa daquela autarquia diz ainda que pelas 11 horas, está agendada uma palestra sobra “A importância da Água na preservação do Património Natural”, por Paula Veiga, responsável do Serviço de Água e Saneamento da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago.
Já na segunda-feira, 18, evidenciando o Património Imaterial da Cidade Velha e a sua valorização, realiza-se, no Convento de S. Francisco, uma conferência de Gláucia Nogueira, mestre em Património e Desenvolvimento, na qual o batuko será tema central. É este estilo musical que encerra as comemorações deste dia: no fim da tarde, no Largo do Pelourinho.
A iniciativa é do IIPC (Instituto de Investigação e Património Cultural) e da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, em parceria com a Delegação Escolar Ribeira Grande de Santiago, a ProimTur e a Escola secundária do Salineiro.

Fonte: http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article63134&ak=1

 

Artistas que provocaram poder russo com pénis de 65 metros vencem prémio de inovação



Uma ponte de São Petersburgo foi transformada, em Junho do ano passado, num pénis de 65 metros pelos subversivos Voina. Quando o tabuleiro móvel da estrutura subia, a sede local do FSB (antigo KGB) encarava uma erecção monumental. A obra desapareceu em poucas horas, mas não foi esquecida. Tanto que acaba de ganhar um prémio oficial, patrocinado pelo Ministério da Cultura russo.
Fonte: Público, 09/04/2011

Património – Organizações não governamentais querem carta de princípios

Cerca de 80 representantes de organizações não governamentais (ONG) ligadas à conservação do património reuniram-se, em Óbidos, para traçar uma nova estratégia de intervenção e elaborar uma carta de princípios.
«É chegada a altura de a sociedade civil se organizar e traçar uma estratégia de intervenção na salvaguarda e defesa do nosso património», afirmou Isabel da Veiga Cabral na sessão de abertura do I Fórum Nacional das ONG (organizações não governamentais) do património.
(…)
Do encontro deverá sair uma carta de princípios de todas as ONG, em que além da mudança de mentalidades os participantes apelam a «alterações na legislação» que proporcionem às associações «mais instrumentos para agir na defesa quer do património edificado quer da nossa memória colectiva».
Durante o fórum, que decorreu na Casa da Música, em Óbidos, foi apresentado um site que «servirá de ancoradouro a todas as ONG que se queiram inscrever» e que Isabel Cabral estima que alcance as 170 organizações ligadas ao património, «representando cerca de 50 mil cidadãos e envolvendo todos os sectores da sociedade civil».
Fonte: Café Portugal

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24454&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

EXPOSIÇÃO: A VOZ DAS VÍTIMAS

EXPOSIÇÃO: A VOZ DAS VÍTIMAS
Inauguração: 14 ABRIL 2011 | 18H00
Período de exibição: 14 ABRIL A 5 OUTUBRO 2011
3ªf a Dom das 10h às 18h
Entrada Livre
LOCAL: Lisboa, antiga Cadeia do Aljube
ORGANIZAÇÃO: Fundação Mário Soares, Instituto de História Contemporânea da FCSH da Universidade Nova de Lisboa e Movimento Cívico Não Apaguem a Memória!
 CONTACTOS E INFORMAÇÕES:
http://centenariorepublica.pt/conteudo/exposicao-voz-das-vitimas
http://www.aljube.net

Outras Áfricas - heterogeneidades, (des)continuidades, expressões locais


Convite à Apresentação de Artigos
A revista eletrónica e-cadernos ces, publicada pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, convida autor@s a apresentar artigos e recensões dedicados ao número temático intitulado “Outras Áfricas -Heterogeneidades, (des)continuidades, expressões locais”.
Sob o mote “Outras Áfricas” pretendemos reunir um conjunto de artigos dedicados às muitas Áfricas que não a “lusófona”, os quais poderão incluir uma vertente comparativa em relação aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa.
Este descentramento geográfico em relação aos contextos que a investigação científica no contexto português maioritariamente contempla será o ponto de partida para dar visibilidade às heterogeneidades de um continente que o imperialismo do Norte, e a ciência ao seu serviço, ora essencializa como um só - A África -, ora, no período pós-colonial, cartografa ainda de acordo com as respectivas ex-potências colonizadoras, sob a retórica das línguas e culturas “partilhadas” - lusofonia, francofonia, anglofonia -, ora, ainda, aborda epistemologicamente segundo modos, estruturas e categorias de produção e organização do conhecimento do Norte. Frequentemente, estas continuam a representar uma apropriação neo-colonial, em particular quando esta abordagem legitima, entre outros, o discurso político, económico e humanitário, ou os princípios por que se rege o direito internacional ou a “ajuda ao desenvolvimento”.
O descentramento relativo à lusofonia deverá ainda provocar outros descentramentos e multiplicações nas perspectivas de reflexão sobre as Áfricas na pós-colonialidade. Em discussão estará, em primeiro lugar, a percepção / construção / incorporação do continente pelo saber ocidental e pelas narrativas dominantes no Norte, bem como o seccionamento epistemológico prevalecente dos estudos africanos segundo as áreas de influência neo- colonial. Interrogar-se-ão as eventuais distorções essencialistas que estes estudos, assim organizados, possam produzir, propondo alternativas para o pensamento teórico, a investigação empírica e a acção prática, nomeadamente através da análise de dinâmicas locais de resistência e da validade e/ou falência de modos e casos de tradução cultural.
O prazo para apresentação de artigos terminará em 18 de Abril.

fonte: http://www.buala.org/pt/da-fala/outras-africas-heterogeneidades-descontinuidades-expressoes-locais-0?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+buala-da-fala+%28D%C3%81+FALA%29

segunda-feira, 11 de abril de 2011

"Viagem a Cabo Verde" ganha menção honrosa no festival internacional de documentários

 
A curta-metragem "Viagem a Cabo Verde", do português José Miguel Ribeiro, ganhou menção honrosa 16a edição do festival internacional de documentários Festival "É tudo verdade".
"Viagem a Cabo Verde" relata uma viagem pelos caminhos de Cabo Verde. O curta, de 17 minutos, é produzida pela "Sardinha em Lata".
Na cerimónia que decorreu na noite de sábado, 09,no Cine Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, em São Paulo, Brasil, o brasileiro "Dois Tempos" e o canadiano "Você Não Gosta da Verdade - 4 Dias em Guantánamo" foram os vencedores da 16º edição do festival.
Veja a lista dos premiados:
Melhor longa e média-metragem
Brasil: "Dois Tempos", de Dorrit Harazim e Arthur Fontes
Internacional: "Você Não Gosta da Verdade - 4 Dias em Guantánamo", de Luc Côté e Patricio Henriquez

Melhor curta-metragem
Brasil: "A Poeira e o Vento", de Marcos Pimentel
Internacional: "Fora do Alcance", de Poza Zasiegiem

Menção Honrosa
Brasil:
"Aterro do Flamengo", de Alessandra Bergamaschi (longa e média-metragem)
"Meia Hora com Darcy", de Roberto Berliner (curta-metragem)

Internacional:
"Cinema Komunisto", de Mila Kurajlic (longa e média-metragem)
"Viagem a Cabo Verde," de José Miguel Ribeiro (curta-metragem)

Prêmio de Aquisição Canal Brasil (para curtas-metragens brasileiros)
"São Silvestre", de Lina Chamie

Prêmio ABD-SP (para curtas-metragens brasileiros)
"Hoje Tem Alegria", de Fábio Meira

Cidade Velha: Dia do Património Mundial assinalado com concurso

Banská Stiavnica, centro mineiro de prata na Eslováquia, um dos mais antigos da Europa e Património da Humanidade, lança pela 17ª vez um concurso para jovens estudantes com o objectivo de celebrar o Dia do Património Mundial, 18 de Abril.

Podem participar neste concurso jovens de três categorias:
  •  até aos 9 anos
  •  entre os 10 e os 12 anos
  •  entre os 13 e os 15 anos
Até 30 de Abril devem chegar à Câmara de Banská Stiavnica (Mestský úrad, Radicné nám 1,969 24 Banská Stiavnica, Slovak Republik) desenhos, pinturas, linóleos ou trabalhos semelhantes, em formato 10x14 com, tendo como tema o Património Mundial. No verso do trabalho deve constar nome do jovem concorrente, idade, indicação e morada da escola, escritos em maiúsculas.
Em alternativa, os jovens interessados podem remeter os seus trabalhos, em envelope fechado, até 20 de Abril, para a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago (Pelouro da Educação), Largo do Calhau, CP O2, Cidade Velha.
Esses trabalhos vão depois figurar numa grande exposição (Património Mundial - uma visão jovem 2011), a ser inaugurada a 2 de Junho, a qual pode depois seguir para outras cidades que integram a OCPM (Organização das Cidades Património da Humanidade).
Banská Stiavnica é um histórico centro mineiro, já explorado pelas tribos celtas há cerca de 3 000 anos, e teve uma das mais antigas universidades técnicas do Mundo. 

 http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/detail/id/24100

domingo, 10 de abril de 2011

Agenda cultural: noticias de imprensa

Palácio Ildo Lobo exibe segunda parte de “O Poder da Arte” 11 Abril 2011

Nesta segunda-feira o Palácio da Cultura Ildo Lobo dá continuidade às suas sessões Movie Night, na Praia, exibindo, às 20h, a segunda parte da série “O Poder da Arte”. Desta vez, passará pelo grande ecrã a obra expressionista abstracta do pintor norte-americano Mark Rothko. O artista é considerado um expoente da arte contemporânea com as suas “pinturas de campo de cor”, onde sensibilidade e espiritualidade se revelam em cores monocráticas, tons indecisos e superfícies moventes.

fonte: http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article62988&ak=1

Senador Vera Cruz expõe “Arte da Tapeçaria” 11 Abril 2011

Confira na Casa do Senador Vera Cruz a exposição “Arte da Tapeçaria”. A amostra, que traça a história desta arte em Cabo Verde (da época colonial à sua revitalização na actualidade), tira do baú o acervo do antigo Centro Nacional de Artesanato – peças criadas por Manuel Figueira, Luísa Figueira e Bela Duarte. Dê um salto até à Casa Cultural plantada no coração do Mindelo e veja que Cabo Verde pode ter artesanato de qualidade. Desde que os poderes públicos queiram e os artesãos fizerem por isso, é claro! A exposição está patente ao público até 30 de Abril, inclusive aos sábados (das 10 às 12h00) e domingos (17 às 20h00).

fonte: http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article62997&ak=1

Kriol Jazz Festival: Tudo a postos para o arranque


A IIIª edição do Kriol Jazz Festival que homenageia Codé di Dona, arranca no próximo dia 13, quarta-feira, e tudo já está a postos para o seu início. A garantia foi dada em conferência de imprensa conjunta do vereador da cultura da Câmara Municipal da Praia, António Lopes da Silva e o representante da Harmonia, Djô da Silva.
De acordo com António Lopes da Silva o festival irá decorrer nos dias 13, 14, 15 e 16 de Abril. Sendo nos primeiros dois dias completamente gratuitos, na rua pedonal 5 de Julho.

"Com isso vamos dar oportunidades aos munícipes de assistirem a um grande festival", assegura o vereador para avançar que a maioria dos artistas a actuarem nesses dias são nacionais.

Segundo Djô da Silva, o festival deste ano vai ter mais música nacional com o objectivo de dar oportunidade aos participantes estrangeiros de conhecerem a música tradicional cabo-verdiana.

O produtor musical garante que a maioria dos artistas nunca estiveram no continente africano. Daí que o evento será uma grande oportunidade de troca de experiência entre os músicos nacionais e estrangeiros.

"O Kriol Jazz Festival já é uma realidade e está a entrar na rota dos grandes festivais internacionais. Será uma forma de divulgar os artistas cabo-verdianos", conclui.

Durante os quatro dias do festival, além da música serão apresentados ao público um conjunto de actividades, designadamente exposições de fotografias, pintura, artesanato, vídeos sobre Jazz, e Workshops.

Eis a grelha da actuação dos artistas na IIIª edição do Kriol Jazz Festival.

Dia 13: Remna Schwarz, Danae, Sakuta / Vera Cruz, Lexxus Legal. Dia 14: os Gaita Ferro, Ensemble Hot Club de Portugal, Cordas do Sol, Ferro Gaita. Dia 15: Albertino Évora, Alain Jean Marie "Biguine Reflections" (Martinica), Yamandu Costa (Brasil), Boubacar Traore (Mali) e no último dia actuam Hernani Almeida, Tánia Libertad (Peru), Cindy Blackman- Santana (USA), Maraca & His Latin Jazz All Stars.

É de realçar que duas revistas internacionais da Inglaterra e da França estarão presentes para fazerem a cobertura do espectáculo.
9-4-2011, 00:25:40
António Ribeiro, Redacção Praia
http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/detail/id/24070

Berlusconi cede gestão e direitos de imagem do Coliseu de Roma


O primeiro-ministro italiano anunciou a privatização do mais famoso monumento de Itália, o Coliseu de Roma. O governo de Berlusconi estabeleceu um acordo com Diego della Valle, dono da marca de sapatos Tod’s, no qual o empresário pagará 25 milhões de euros pelas obras de restauro do monumento, beneficiando durante 15 anos prolongáveis dos direitos de imagem do Coliseu.
Em troca do investimento de 25 milhões que custará o restauro do anfiteatro do século I, a empresa de Diego della Valle ficará responsável pela gestão exclusiva do espaço, passando todas as decisões por si e não pelo Estado. A Tod’s passará então a gerir o aluguer do espaço, podendo deixar a sua marca nas entradas do Coliseu de Roma e nos andaimes das obras. A construção de um centro de serviços no próprio Coliseu também é uma possibilidade.
(…)
Fonte: Público, 05/04/2011

fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24253&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

Monumentos do IGESPAR comemoram Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

O IGESPAR promove um conjunto de actividades a decorrer nos seus monumentos, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
Consulte o programa:
http://www.igespar.pt/pt/news/9/1976/

http://www.pportodosmuseus.pt/?p=24267&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pportodosmuseus%2FrxgW+%28pportodosmuseus%29

sábado, 9 de abril de 2011

Para onde andam os nossos herois?


No momento que tanto precisamos deles, os heróis fogem, metem-se cabeça na areia  que nem avestruz. O mundo precisa de heróis capazes de castrar os neoliberais, fazendo-lhes sofrer privações, fome, frio e chuva. O mundo precisa de heróis que mexem o tabuleiro do mercado, que façam prevalecer a dignidade humana e o progresso da humanidade. Abaixo os políticos, abaixo os oportunistas, abaixo as hienas, abaixo os abutres, abaixo, abaixo,, abaixo... por mais abaixo ... e por mais baixo que sejam os políticos, NÓS O POVO NÃO VAMOS DEITAR A TOALHA AO CHÃO. VAMOS A LUTA.
A reinvenção dos políticos precisa-se; os políticos do passado fazem muita falta, apesar de contingências da
época, não eram mentirosos e malabaristas; apesar de tudo eram previsíveis. Os de agora atuam-se em equipas, empurrados pelas mãos invisíveis dos lobbies (lê-se lobos).  

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Poesia urbana: teia




Neste tecido
Fico preso num golpe
Olhares suspeitos
Gesto na mira da denuncia
Um andar para lado nenhum
Tece tudo….
Enquanto vejo o portal da salvação
Porque enquanto a solidão
Se apossa de mim
Bebo água.