terça-feira, 27 de setembro de 2011

Cabo Verde com Lei quadro dos museus até final do ano



“É um imperativo para os museus, uma lei quadro, para que tenham autonomia financeira e se possa ter um quadro de pessoal técnico especializado”, defendeu o presidente do Instituto de Investigação e do Património Cultural (IIPC). Humberto da Cruz Lima falava em Lisboa, Portugal, onde participa no VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa.

“É um imperativo para os museus, uma lei quadro, para que tenham autonomia financeira e se possa ter um quadro de pessoal técnico especializado”, disse o presidente do IIPC que acrescentou que a lei quadro dos museus de Cabo Verde está pronta e será publicada antes do final do ano".
Humberto da Cruz Lima, que participa no VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa, no Museu do Oriente, em Lisboa, afirmou à Agência Lusa que, quanto ao pessoal técnico, “já há protocolos de formação com o Instituto de Conservação e Museus de Portugal, de modo a formar técnicos para darem formação, em Cabo Verde”.
Actualmente existem em Cabo Verde sete museus, sob a tutela do IIPC, estando prevista a abertura da Casa Museu Eugénio Tavares, numa iniciativa privada, em Vila Nova Sintra, na ilha Brava e a Casa Memória, na ilha do Fogo. Outros museus em perspectiva são a Casa Museu Amílcar Cabral, o da Música e o do Café.
O responsável sublinhou “o papel central do Estado [cabo-verdiano] na preservação, divulgação e investigação do património material e imaterial”. De 1997 até 2008, o Estado apostou em museus temáticos, todos em antigas casas senhoriais de traça neo-clássica, à excepção do Museu do Campo de Concentração do Tarrafal de Santiago, construído no antigo campo de presos políticos da ditadura portuguesa anterior ao 25 de Abril de 1974.
Outros museus são o de arqueologia, onde se reúne o material recolhido pelas campanhas de arqueologia subaquática entre 1998 e 2001, o dos Documentos Especiais, e o Etnográfico, na Cidade da Praia, o museu da Tabanca, em Chã de Tanque (Santa Catarina de Santiago), e o das Artes Tradicionais, no Mindelo.
Organizado pelo ICOM Portugal, com o apoio da Fundação Oriente, o VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa conta com a participação de especialistas de todos os continentes, dos países da CPLP e também de comunidades lusófonas em Macau e Goa.
Fonte: Lusa
Fonte: A Semana

0 comentários:

Enviar um comentário