terça-feira, 26 de abril de 2011

Tahiti Center embargada por doze meses para estudo de impacto histórico da zona


A decisão foi congratulada pelas associações, Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, dos Combatentes da Liberdade da Pátria, da Defesa de Memória e a Fundação Amílcar Cabral, além de outros representantes da sociedade. 

A construção do projeto Tahiti Center foi embargada para os próximos 12 meses, conforme um despacho governamental emitido dia 15 deste mês. O objetivo da medida é abrir um estudo sobre a zona para sua classificação ou não como Património Histórico.
A decisão foi congratulada pelas associações, Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, dos Combatentes da Liberdade da Pátria, da Defesa de Memória e a Fundação Amílcar Cabral, além de outros representantes da sociedade.
Em outubro de 2009, as organizações acima citadas entregaram à Assembleia Nacional uma petição com mais de seiscentas assinaturas, que visava a preservação do Parque Verde Natural do Taiti, alegando razões históricas, ambientais e urbanísticas.
De acordo com o presidente da Associação Cabo-verdiana de ex- Presos Políticos, Pedro Martins, o parecer do Executivo foi favorável e daí a decisão de se congratular pelo ganho que o ato representa no processo de preservação do sítio.
Segundo Martins, pelo papel importante que a zona do Tahiti tem na história do País, é de extrema importância preserva-la.
E nada melhor que construir um parque verde no coração da cidade para proporcionar mais qualidade de vida aos praienses e quiçá uma futura área de atração turística.
Por ora, a preocupação das referidas Associações e da sociedade civil é o posicionamento da Câmara Municipal da Praia que é a responsável pelo terreno.
Conforme o arquitecto Cipriano Fernandes – um dos representantes da sociedade civil a câmara diz-se a favor do Parque Verde Natural, mas até então não formalizou nada neste sentido.

fonte:  REDAÇÃO, com RCV (Gilvanete Chantre)
 
http://www.rtc.cv/index.php?paginas=21&id_cod=2489

0 comentários:

Enviar um comentário