sexta-feira, 4 de março de 2011

Imprensa cultura.CV em movimento: oportunidade aos nossos músicos

Pontapé na crise


Artistas cabo-verdianos vão beneficiar da segunda edição do programa espanhol “Vis à Vis”


A Cidade da Praia será palco, de 6 a 9 de Abril, do programa espanhol "Vis à Vis" da Casa África, que pretende colocar cerca de 20 artistas nacionais em contacto com produtores e programadores espanhóis.
Em nota de imprensa, a Casa África explica que o "Vis à Vis" arrancou em Março de 2010 em Dakar (Senegal), com o apoio da Sociedade Geral de Autores de Espanha e o Instituto Cervantes e contou com o apadrinhamento do cantor senegalês Youssou N´Dour.
O principal objectivo do programa é garantir a estabilidade da presença africana no mercado musical espanhol, facilitando o contacto directo dos produtores/programadores espanhóis com os músicos e criadores africanos e ultrapassar os limites de etiquetas como "world music".
Este projecto da Casa África começa com o contacto em Espanha com pessoas significativas da indústria musical, programadores de festivais, manegers e firmas discográficas.
O projecto segue com a procura, contacto e digitalização da música de artistas africanos emergentes e culmina com a celebração do evento central, neste caso, o Cabo Verde "Visa à Vis", que terá sua sede principal na Cidade da Praia e realizar-se-á de 6 a 9 de Abril de 2011.
Segundo a mesma fonte, até ao momento mais de 15 produtores e programadores espanhóis já confirmaram o seu interesse em assistir o festival, enquanto meia centena de grupos ou artistas já se mostraram interessados em apresentar o seu trabalho, actuando para os programadores espanhóis.
Após uma selecção feita pelos programadores, que deslocar-se-ão à capital cabo-verdiana, serão finalmente eleitos 16 grupos que tocarão ao vivo. Dois de entre eles poderão viajar, nos próximos meses, para a Espanha para integrar cartazes de diversos concertos.
O "Vis à Vis", explica os responsáveis pela Casa África, procura um desenvolvimento sustentável do sector musical africano, tanto para melhorar as condições com que os músicos realizam seu trabalho, como para criar uma base que permita criar tecidos e redes estratégicos que darão resultado, a meio e alongo prazo, tais como a criação e/ou o reforço de uma industria musical africana.
Casa África é um consórcio público constituído a 26 de Junho de 2006, numa iniciativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Espanha e do Governo das Canárias, da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e outras instituições espanholas.
O consórcio, que se propõe fomentar o conhecimento mútuo, facilitar maior intercâmbio cultural, económico e social entre Espanha e África, tem como objectivo dar a conhecer o potencial do continente africano junto da opinião pública espanhola, através de actividades culturais, sociais e económicas.



1 comentários:

  1. Nta akredita ma di djuntu nu podi fazi más pa Nos Téra enkuantu ses fidju ki nos nu é.Ami e un di kes gentis di nos téra ki ta áma kel ki nu ten, des di nis povu ti nos rikursus natural ki nu ten.
    Obrigadu pa es Blog- konta senpri ku mi. Nta trabadja li na Cidadi Vélha- un di kes más novu Patrimóniu di mundu.
    THANKS!

    ResponderEliminar