sábado, 19 de março de 2011

A expectativa para o sector da cultura em cabo Verde é grande


Ontem os cabo-verdianos ficaram a conhecer os nomes dos ministros que vão comandar o nosso país. O que ficou assente é que o elenco vai ser gordo, com alguns ministérios com denominações E.T.
Ficamos contentes pela nomeação de Mário Lúcio como ministro da cultura. Há muito que a cultura não tem acertado nas suas atribuições. O problema é mais político do que outra coisa. Uma vez que a política é responsável por todas acções, desde recrutamento, selecção dos RH, programas, exigências, motivações, cultura de trabalho, etc.
A comunidade artística e cultural cabo-verdiana aguarda atentamente o desempenho, que acredito, irá ser melhor desde que se faça as coisas acontecerem com os recursos disponíveis e vários programas de financiamentos existentes, com os assessores e técnicos em condições.
Cabo Verde precisa de um Ministério da Cultura a altura dos desafios da contemporaneidade. A aposta  certeira deve cair na comunicação, internacionalização, simplificação dos processos, na agenda cultural coerente, na indústria cultural, na legislação, e na dinamização comunitária, etc..
Aguardamos o programa do governo para esta legislatura  para tecer opiniões; iremos publicar alguns itens para a consulta pública.   
Prognóstico: só no fim do jogo.

1 comentários:

  1. Espero que o Mário Lúcio faça um bom trabalho e que dignifique a cultura cabo-verdiana.

    ResponderEliminar